quinta-feira, 4 de abril de 2013

Evangélicos e homossexuais




Com o crescimento dos evangélicos aumenta o interesse da mídia, do comércio e dos políticos, afinal onde tem pessoas tem votos e consumidores, surgem também os que se apresentam como representantes do grupo; é daí que surge a tal bancada evangélica que de evangélica não tem nada, travando várias guerras no Congresso Nacional contra os grupos representantes dos homossexuais.
Jean+Wyllys
É um tema bem polêmico, envolve a ignorância e a falta de postura de ambos os lados, o que gera um clima de guerra. De um lado nós temos religiosos de grupos cristãos que são ignorantes sobre o tema e até sobre a base da própria fé, que é a Bíblia. E do outro, um grupo que exige várias vantagens para uma minoria, tão intolerantes quanto o grupo religioso. Tanto cristãos quanto homossexuais são cidadãos brasileiros e possuem os mesmos direitos de se manifestarem, faz parte da democracia, tanto um quanto o outro não pode impor o seu pensamento a ninguém, porém ambos devem, ou ao menos deveriam – expor as suas ideias conscientes de que qualquer um tem o direito de discordar.
Qualquer pessoa, independente de ser cristão ou não, quando discorda dos homossexuais é taxado de homofóbico; as palavras ganham até um novo significado para evitar ofensas seguindo a onda do politicamente correto. Acredito que todos nós temos o direito de concordar e discordar de qualquer ideia, a partir do momento que você é obrigado a concordar, temos uma espécie de ditadura. O preço pago por se discordar dos homossexuais em nossos dias é a crucificação e perseguição nas mídias, nas faculdades sob a acusação de ser fundamentalista, retrógado, ignorante, homofóbico, e por aí vai. Chegamos num tempo em que ter convicções é quase um crime.
Como cristão, me envergonho da postura assumida por vários dos que se dizem pastores que vão para a mídia da forma mais ignorante possível contribuir mais ainda para a construção de barreiras e empobrecimento do diálogo. A homossexualidade não é uma doença, a ciência não tem respostas definitivas para o assunto, que é complexo – e não há nenhuma comprovação de que seja um problema genético; O conselho federal de psicologia tem mantido uma postura muito mais ideológica do que científica; A Bíblia considera como um pecado, assim como qualquer outro e coloca todos os seres humanos indistintamente como pecadores de maneira que o homossexual não é mais pecador do que o heterossexual; Mesmo que um dia a ciência comprove que uma pessoa nasça homossexual, não deixará de ser pecado do ponto de vista cristão, visto que a Bíblia afirma que nascemos todos em pecado, e por fim, Jesus Cristo oferece perdão a qualquer pecador que se arrependa, seja ele heterossexual ou homossexual.
malafaia
Defendo a opinião de que todos têm o direito de ter opinião e de que devemos expor o nosso ponto de vista ao invés de tentar impor o mesmo. A teologia tem os seus argumentos, bem como a psicologia, a medicina, a sociologia, entre outras; todos os argumentos devem ser expostos e analisados para que as conclusões sejam tiradas, mesmo em um tempo que se tornou incômodo ao ouvido de muitos a ideia de certo e errado, ou de uma verdade absoluta. Se todos estivessem certos não existiram mais debates e nem a própria ciência sobreviveria. Assim como existe o religioso intolerante com os que discordam da sua crença, existe o homossexual intolerante com os que discordam da suas ideias, esse debate só tem demonstrado o nosso grau de intolerância de uns para com os outros.

por Everton Rocha - Achando Graça

2 comentários:

Ateu Ignorante disse...

Prezado Everton. Qualquer pessoa tem o direito de discordar de ideias. Afinal, ideias podem e devem ser debatidas. Mas sentimentos não podem ser discutidos. Se você ama sua mãe, quem não ama a mãe vai discordar de você? Se você tem uma namorada ou esposa, quem há de duvidar desse amor? Quem não ama sua namorada ou esposa, que não dê em cima dela. O mesmo acontece com quem ama outra pessoa do mesmo sexo. Se você não ama alguém do mesmo sexo, respeite quem ama. Eu não gosto de jiló. Nem por isso digo que quem gosta está errado ou faço campanhas contra quem gosta de jiló. Eu simplesmente não como. Se você não gosta de ceder a porta dos fundos ou entrar na porta dos fundos de alguém, apenas não faça isso, mas respeite quem gosta. Muitos evangélicos, inclusive, já se atualizaram, como os anglicanos, por exemplo, que até mesmo ordenam bispos gays. Logo vê-se que não é uma disputa ideológica entre cristãos heterossexuais e gays ateus. Tem cristão gay, assim como muito gay é cristão. O embate está se dando no prevalecimento de um único modo de pensar como se fosse a verdade absoluta do universo, imutável. Se o cara peca por ser gay, todo cristão peca por qualquer outro motivo, segundo 1 João 1:8. E o azar (ou sorte) é de cada um. Acho muita arrogância e prepotência evangélicos afirmarem com tanta convicção que vão pro céu só por serem evangélicos, como se fossem menos pecaminosos que os demais, inclusive menos que os católicos ou espíritas, que também são cristãos. Enfim, se você não gosta de dar o jiló, não dê o seu, mas respeite quem gosta. Abração!

Aluísio Nogueira disse...

Seu blog como meio de Serviço ao Reino de Deus-Divulgue e Participe do Manifesto Cristão sobre Homofobia como os principais sites Cristãos
Manifesto do Povo Cristão sobre Homofobia
Conheça e assine o Manifesto Independente do Povo Cristão sobre Homofobia:
Clique aqui para assinar o Manifesto: http://osrabiscosdedeus.blogspot.com.br/2013/04/manifesto-do-povo-evangelico-sobre.html
Ás igrejas evangélicas e o povo evangélico não têm um representante único como acontece com a Igreja Católica, nem pretende ou considera necessário ter um representante único, portanto, os vários líderes que existem em nosso meio, representam suas parcelas no meio cristão-evangélico, sejam eles históricos, tradicionais, pentecostais ou neopentecostais.
Diante dessa realidade, todos nós que cremos em Jesus Cristo como sendo o
Único Senhor e Salvador da humanidade, que cremos e consideramos o Seu sacrifício na cruz suficiente para a nossa Salvação, reconhecemos a Jesus como o Unigênito Filho de Deus, sendo Ele o Único Caminho e o Único intercessor entre o Homem e Deus, cremos na Sua ressurreição e na Sua volta para buscar a Sua igreja (aqueles que o aceitaram e aceitaram à Sua Palavra) e aqueles que creem na Graça da redenção e na Sua Palavra, a Bíblia Sagrada, como única regra de fé e pratica Cristã, como condição básica para definir o grupo denominado como Evangélico, independente de denominação ou nomenclatura.
Assim identificados e abaixo assinamos, declaramos nossa posição como Evangélicos e protestantes diante da Sociedade Brasileira, posicionando claramente o pensamento dominante sobre assuntos polêmicos e relevantes que se apresentam nos dias atuais:
Clique aqui para assinar esse Manifesto: http://osrabiscosdedeus.blogspot.com.br/2013/04/manifesto-do-povo-evangelico-sobre.html
Participação: Você blogueiro Cristão ou que tem um Site, a cópia e publicação desse Manifesto é livre. Divulgue esse Manifesto que não é político nem promove política ou denominação religiosa. Nosso objetivo é esclarecer a Posição do Povo de Deus pela Base, esse é o seu Manifesto e não o manifesto de algum líder ou igreja. Participe, Divulgue e compartilhe nas Redes Sociais. O Manifesto está à disposição do Parlamento Brasileiro como uma Petição para abolir o uso do termo Homofobia como forma de pressão e imposição contra os valores de Família. Não fique omisso, agora é a sua voz em prol da liberdade cristã de expressão e opinião.

Postar um comentário